Pai do Peteleco, Oscarino morre em Manaus vítima de câncer

Pai do Peteleco, Oscarino morre em Manaus vítima de câncer

O criador do boneco Peteleco, Oscarino Varjão, faleceu aos 81 anos neste domingo (15) após uma parada cardiorrespiratória. Internado desde sexta-feira, o ventríloquo marcou a história cultural do amazonas ao criar o boneco há mais de 60 anos. Em 2017, a dupla foi tema do documentário ‘Oscarino e Peteleco’, de Anderson Mendes. No curta, “Eles falam sobre saúde, morte e, principalmente, amizade. O documentário traz esse sentimento de nostalgia e vai fazer muita gente se emocionar, afirma o diretor.

Segundo Anderson Mendes, a doença já era uma realidade recorrente para Oscarino, ainda na fase de pré-produção, em 2015, o diretor presenciou idas ao hospital. Esses problemas de saúde fizeram a produção se adaptar diversas vezes a contratempos surgidos inesperadamente. Tinha dias que estávamos prontos e ele tinha que ir no médico de última hora ou não estava bem. Ultimamente, ele já vinha até desmarcando algumas apresentações. O Oscarino estava muito preocupado achando que não teria como realizar esse show no Teatro. Acompanhamos essa situação de perto e até o estimulamos a fazer o show, pois, a simples presença deles no palco já diverte o público e também é através dessas apresentações que ele sustenta a família. No fim, rolou uma surpresa com bolo de aniversário e o público aplaudindo de pé a dupla, afirmou o documentarista.

Foto: Divulgação Manaus / AM – Oscarino Farias Varjão, de 81 anos, morreu após sofrer uma parada cardíaca neste domingo (15), em Manaus. O ventríloquo estava internado no Hospital 28 de Agosto desde a última sexta-feira (13), quando foi internado em decorrência de um câncer no estômago.

“Meu pai não é cachorro, merecia ao menos socorro”, desabafou Francy Silva, filha do verdureiro Francisco Lucio Mauro, 48 anos, atropelado e morto pela médica, Letícia Bortolini, 37 anos, no último sábado (14.04), em Cuiabá.

O boneco Peteleco é considerado Patrimônio Cultural Imaterial do Amazonas desde 2016. Suas histórias iniciaram na década de 1950, quando Oscarino tinha 20 anos e fazia shows nas ruas da capital como forma de superar dificuldades financeiras.

Letícia e o marido Aritony Alencar, que também é médico, fugiram da avenida Miguel Sutil, local do atropelamento sem prestar socorro. 

Segundo a filha, a justiça do homem é falha e que nada que ela faça trará o pai de volta.

Além do reconhecimento como patrimônio cultural, as apresentações renderam a Oscarino uma participação no Programa do Jô, em novembro de 2000, e um documentário sobre sua obra.

“É uma dor muito grande, me ajude de alguma forma vamos compartilhar comigo, para que esses médicos se é que possam ser chamados disso sintam na pele de alguma forma”, diz referindo se a compartilhar imagens sobre a notícia da morte. 

Ele estava entubado na emergência do Hospital 28 de Agosto, mas não resistiu. Oscarino criou o boneco Peteleco, que é um dos símbolos culturais do Amazonas.

A filha recebeu diversas mensagens de apoio e consolo nas redes sociais. Os internautas também pedem punição a Letícia e ao marido. 

Oscarino Farias Varjão estava internado desde a última sexta-feira (13) no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, decorrente a um câncer no estômago

Prisão: A juíza da 9ª Vara Criminal, Renata do Carmo Evaristo Pereira, decretou durante audiência de custódia, nesse domingo (15.04) a prisão da médica dermatologista.

Meu pai não é cachorro e merecia ao menos socorro, diz filha de verdureiro morto por médica

Por ter ensino superior, ela ficará em uma cela especial no Presídio Ana Maria Couto, na Capital.

Related posts